Ads 468x60px

26/06/2011

Maria, Mãe de Jesus



Texto: Lc 1.38
Introdução
> Falar sobre mães de pessoas famosas. Que orgulho devem sentir!
> Ser a mãe do Salvador certamente foi o maior de todos os privilégios. Será que Deus escolheu Maria aleatoriamente? Ou será que Deus buscou alguém com características especiais para esta tão sublime tarefa?
> Nós não a adoramos, mas a admiramos e temos nela um grande exemplo de mulher de Deus!
Transição
> Maria foi uma mulher bem-aventurada, abençoada e digna de imitação.
> A Bíblia nos mostra algumas características na vida de Maria, que a fizeram uma mulher abençoada (características estas que devemos seguir para que também sejamos pessoas abençoadas).
I.) Prudência e Busca de Discernimento – Lc 1.26-37
> Cuidado, cautela, prudência, temor prudente. Buscou discernir: o que é isso? Será que isso é de Deus mesmo? – 29, 30, 34.
> Maria não se convenceu fácil. Não era incredulidade, era prudência. Ela estava buscando discernir a situação (v. 34).
> O anjo, por fim, dá a Maria um sinal da veracidade das suas palavras (v. 36, 37).
II.) Pureza – Lc 1.34
> Maria era virgem, pura, guardava-se para o seu marido no casamento.
> Muitas jovens de hoje, na situação de Maria aqui não saberiam dizer quem seria o pai!
> Segundo a Palavra de Deus, o sexo é uma benção para ser desfrutada somente no casamento (nem antes e nem fora do casamento), mesmo que alguém tenha certeza de que seu namorado (a) ou noivo (a) será seu futuro cônjuge.
> O que não falta são “boas desculpas” para desobedecer à Palavra de Deus: “Deus é amor e nós vamos fazer amor!”; “Nós nos amamos”; “Ele (a) será meu (minha) futuro (a) esposo (a)”; etc.
> Para sermos abençoados como Maria, temos que seguir a Palavra de Deus, mesmo que pareça algo careta para todos à nossa volta.
III.) Submissão – Lc 1.38
> Depois de ter certeza da manifestação e do trabalhar divino, Maria demonstrou ser uma pessoa totalmente entregue à vontade do Senhor!
> Se auto-denominou serva do Senhor.
> É interessante notar que Maria poderia ser discriminada em sua época, em sua cidade (provavelmente um pequeno vilarejo onde todos se conheciam) ao aparecer grávida sem haver se casado. Não importavam as conseqüências, o que importava era se submeter à vontade do Senhor!
> No v. 45 diz que ela creu (teve fé). Só se submete quem crê, quem tem fé!
> Você tem fé o suficiente para se submeter à vontade do Senhor para a sua vida, seja ela qual for? Ou ainda tem relutado para entregar, submeter no altar do Senhor alguma área de sua vida?
IV.) Conhecimento da Palavra – Lc 1.46-55
> O cântico de Maria, chamado o “Magnificat”, emprega muitas expressões do AT. Isso demonstra que Maria tinha profundo conhecimento da Palavra de Deus.
> Deus não enviaria seu Filho para ser criado em uma família que não tivesse conhecimento de Sua Palavra!
> Como está o nosso nível de conhecimento das Escrituras? Você lê a Palavra diariamente? Quanto você lê por dia? Já leu a Bíblia toda?
> Precisamos conhecer bem as Escrituras para, a exemplo de Maria, termos uma vida abençoada.
V.) Discrição e Sabedoria quanto ao momento certo de falar – Lc 2.19, 51
> Elucidar Lc 2.8-19, 41-51; para ser mais sucinto pode ser v. 16-19, 46-51.
> Maria era uma pessoa discreta, sábia, reflexiva, que meditava, guardava no coração aquilo que precisava entender melhor e esperava o momento certo de falar!
> Influenciou de forma muito positiva o Filho.
> Como Jesus chegou à conclusão de que Ele era o Messias prometido no AT? Entre outras formas (certamente houve uma revelação interior do Espírito Santo), nos momentos certos e da maneira certa, Maria deve ter ido dizendo para Jesus sobre as profecias que havia ouvido a respeito dele (do Anjo, de Isabel, dos Pastores, de Simeão, etc)
> Maria tinha informações preciosas sobre seu filho, as quais deveria comunicar-lhe com sabedoria e no tempo certo: Lc 1.31-33,35b, 42-45; 2.15-19, 8-14; 25-35; 36-38.
VI.) Atenção às Necessidades – Jo 2.3,5
> Maria estava atenta, ligada às necessidades e às oportunidades!
> Quando estamos atentos às necessidades e oportunidades de servir as pessoas que nos cercam, certamente seremos abençoados como Maria.
> Servir é um dos propósitos de nossa existência. Encontramos sentido, significado para nossas vidas ao servir ao próximo. Quem não entende esta dimensão, vive uma vida egocêntrica, egoísta, sem propósito, sem significado e sem sentido.
> Como Maria, temos estado atentos às oportunidades de servir pessoas?
VII.) Coragem – Jo 19.25-27
> Enquanto a maioria dos discípulos, no momento da crucificação (e logo após à crucificação) estavam escondidos, com medo de represálias (Jo 20.19), Maria estava corajosamente (com outras mulheres e João) junto à cruz em que estava crucificado seu Filho Jesus! Não temeu a perseguição e violência das autoridades dos judeus!
Conclusão
> Maria foi uma mulher especial que, como vimos, teve características maravilhosas. Todavia, o maior exemplo que ela nos traz, é o fato de ter reconhecido sua necessidade de salvação (Lc 1.46,47).
> Certamente é a atitude, o exemplo, a característica que mais devemos imitar em Maria: reconhecer nossa necessidade de salvação. E a salvação está no ente santo gerado no ventre de Maria: Jesus Cristo, o Filho de Deus, o caminho, a verdade e a vida! Fora dEle não há salvação!

Nenhum comentário:

 

Sample text

Sample Text

Sample Text